Wednesday, September 17, 2008

Parte 6/6 Gerolf Heinrichs Regulagem de Asa e Limites de Segurança

Parte 6/6 - http://br.youtube.com/watch?v=PxSeBA_2ctE

...ou se a masssa de ar, conforme você mergulha, vai empurrar assim (para baixo) e os recuperadores vão empurrar no sentido contrário. Mas você só gostaria de ver esta batalha começar após um certo ponto, entende, aqui está a vela e aqui está a posição do recuperador, você quer alguma folga, permitindo à vela oscilar. Porque isso é o que permite à vela efetuar curvas. Se você tiver os recuperadores encostando na vela com, digamos, 1/3 de VG, isso não é bom, porque isso instantaneamente travaria sua asa numa determinada atitude. Por isso é necessário deixar um espaço para a vela ficar livre, e quando ela finalmente encostar no recuperador deverá ficar ali perfeitamente firme.

Pergunta: "À medida que a asa fica velha, ela parece encolher um pouco. Com isso ela se torna bem mais dura e aí você abaixa um pouco os recuperadores para compensar este efeito. Isto torna a asa mais insegura?"

Outra boa pergunta. As asas envelhecem e encolhem devido a duas causas: uma é o sol que encolhe a vela, isso depende do tipo de mylar; a outra razão é que todos os tecidos, à medida em que se tornam mais dobrados e enrugados, produzem micro rugas que causam desvios na fábrica do tecido. Todo velejador sabe disso, quanto mais você dobra a vela, mais você cria rugas que não saem, e o comprimento original não volta.

Esse dois efeitos se somam, e a melhor cura para isso não é abaixar os recuperadores, numa asa com talas de ponta, mas abaixar este ponto (mostra a área onde termina a tala de ponta da Litespeed). Porque quando a vela encolhe, ela vai puxar este ponto para dentro, e a única forma de a ponta ceder é para cima. Então você termina com as pontas da asa altas. E se você abaixar os recuperadores você vai continuar sentindo a pressão na barra e vai achar que essa pressão vem dos recuperadores, mas neste caso é um momento de rotação causado pela vela (sail pitch). Seria melhor você colocar um ajuste no anel excêntrico (eccentric ring) que cause um perfil mais chato (flat) na vela; ou então você também pode encurtar o comprimento da tala de ponta. Esta asa mostra este problema, ela não está com tensão nesta curva (mostra o bordo de fuga enrugado na altura da tala de ponta - ele chama esta parte do bordo de fuga de "turning edge") pela razão que a tala de ponta está um pouco comprida demais, e se a gente simplesmente encurtasse ela um pouco... Deixem-me demonstrar isso abrindo um pouco a alavanca (Gerolf abre a alavanca que trava a tala de ponta na posição de vôo, diminuindo a tensão causada pela tala) e consegue um pouco mais de tensão (no bordo de fuga em curva). Não é que a tala de ponta tenha ficado comprida demais, mas sim que a asa inteira encolheu e agora você precisa ajustar de acordo.

Então para responder à sua pergunta, neste caso é melhor mexer no comprimento da tala de ponta e não nos recuperadores. Ao mexer nos recuperadores nós criamos... Nós tivemos, nas asas de primeira geração, na verdade na primeira, a Topless, projeto da La Mouette, que era muito inovativa na época, mas foi uma das primeiras então era natural que tivesse alguns defeitos. Um deles era que os recuperadores eram baixos e não eram sólidos o suficiente, mas o ângulo da asa, as pontas, eram muito altas, então isso causava bastante pressão na barra. Você podia até fazer um speed gliding sem recuperadores, porque a asa não ficaria divergente (com tendência a capotar irreversivelmente). E você diria, "puxa, é realmente segura, porque até a vela já tem bastante washout!" Mas não é. Porque você tentava baixar aquela pressão na barra abaixando os recuperadores e você passava a não ter nada (nenhuma ação dos recuperadores) se ficasse sem peso (zero G em turbulência).

Já se sua asa fosse diferente e o ângulo das pontas fosse muito plano (flat) e você puxasse o VG totalmente, sem os recuperadores, a vela ficaria divergente, então você nunca pensaria em abaixar os recuperadores. Isso seria na verdade uma asa mais segura então. Ela pareceria mais assustadora sem os recuperadores, mas aquela batalha seria muito mais dura (referindo-se à pressão da massa de ar contraposta à ação dos recuperadores), a vela empurraria mais e os recuperadores também. Em termos de momento isto é bom, mas em termos de maneabilidade isso não é bom. Então o melhor a fazer é buscar um bom meio-termo. Como a Litespeed por exemplo, ela é o meio-termo perfeito! (risadas)

Mas vocês vêem, é exatamente isso que eu tenho que pensar quando estou projetando uma regulagem. Exatamente estas questões: aonde colocar a altura dessas pontas, de forma que o equilíbrio entre manejo e segurança seja bom? Se eu colocar as pontas muito altas os pilotos vão abaixar os recuperadores demais, se eu colocar as pontas baixas demais ela terá um manejo difícil logo de saída.

Pergunta: "Com que freqüência devemos checar os ângulos dos recuperadores?"

Se você tivesse uma engenhoca destas (referindo-se ao nível eletrônico) você ficaria surpreso de como você pode regular bem a simetria de sua asa. Você também ficaria surpreso do quão frequentemente você teria que fazer pequenas correções. Por que isso? Por exemplo, você pode ter montado sua asa num local de forma que um dos lados estivesse coberto por outra asa, digamos uma asa pesada causando pressão sobre um dos lados da sua asa. Você não deve pensar que as asas são tão rígidas que não reagem a este tipo de esforço. Você pode terminar com 0,2 graus a menos e isso pode ser um incremento de 1/4 de um buraco ou até de 2 buracos (no recuperador). Então às vezes você tem que reajustar depois de uma temporada de vôos, ou até no meio da temporada.

Mas este efeito tende a diminuir com o tempo. Por que isso? Se você olhar a construção do sistema, você vê um cabo, e o cabo entra numa junta esférica (ball joint) e há um parafuso e um buraco no recuperador. Se você pressionar para baixo a coisa toda, porque ela não foi pré-tensionada duramente o suficiente, todas estas pequenas peças vão ceder um pouco. É como no caso dos cabos laterais, se você inspecionar seus cabos laterais você vai notar que as pequenas partes, essas alavancas e juntas, irão alongar um pouco com o tempo. Uma vez que elas alongam-se um pouco, elas se tornam muito mais duras. É como uma deformação plástica (deformação plástica em metais refere-se a uma deformação que ultrapassa o ponto em que o material não volta mais ao estado original, assumindo assim uma deformação permanente).

Então uma boa forma de fazer isso, e isto é feito na fábrica, mas você pode fazer também por conta própria, é forçar os recuperadores para baixo, segurando no bordo de ataque e pressionando, de verdade, fazendo uns 20Kgf, então você já deforma todos estes pequenos componentes. Você está buscando um sistema o mais rígido possível e não um que irá ceder às pressões impostas. ...(inaudível)... e o motivo pelo qual usamos cabos rígidos e não Vectran (Vectran é uma marca comercial de um tipo de fibra polimérica) é exatamente esta. Vectran seria exatamente isso, Vectran num recuperador seria inquebrável, mas ele tem um problema, é flexível demais.

A gente quer ver o oposto, a gente quer ver um cabo muito rígido e que quase não cede. É por isso que passamos de um cabo de 2mm para 2,5mm e em alguns casos até cabos de 3mm, e há cabos cuja trama é menos trançada, tudo isso para fazer o sistema mais e mais rígido. Quanto mais rígido é o sistema, menos freqüentemente você precisa fazer ajustes.

4 comments:

Indiana said...

Fabiano, parabéns pelo trabalho, ficou EXCELENTE! Obrigado por mais essa para o nosso esporte.
São pessoas como você que fazem a diferença!

Papito said...

Grande trabalho. Após ler esta matéria corri pra minha asa e verifiquei que estou completamente fora dos padrões mencionados.
Valeu Fabiano,
Papito- Sta Terezinha

Jairo said...

Fabiano, essa entrou para meus bookmarks.
Muito bom o trabalho, obrigado.
Abs,
Big flights & safe landings !

Jairo de Carvalho Junior
Sao Paulo / SP - Brasil

Anonymous said...

Graaannnde Fabiano
Exelente o teu trabalho. Sou daqueles que nao sabia pra que serviam os recuperadores. Apenas sabia que nao deveria mexer com quem tava quieto.
Parabens
Telmo - PFundo-Rs